ESPECIAL ELECTRIC DREAMS — O que achei do episódio “The Commuter”

E o especial deste mês no blog terá como tema a série “Philip K. Dick’s Electric Dreams”. A primeira temporada da série, cujos episódios são baseados nas obras de Philip K. Dick (“Blade Runner”, “The Man in the High Castle”, “Minority Report”), estreou no Reino Unido em 2017 e chegará à Amazon Prime no dia 12 deste mês.

Ed (Timothy Spall) é funcionário de uma estação de trem e não está vivendo bons momentos, especialmente no âmbito pessoal. Além de uma crise no relacionamento, ele precisa lidar com o filho autista, cujo comportamento vem piorando. Um dia, ele percebe que várias pessoas estão pegando o trem para uma cidade inexistente. Ao decidir investigar, ele descobre um mundo inesperado, que é bom demais para ser verdadeiro.

A história do terceiro episódio da temporada é baseada no conto homônimo escrito por Philip K. Dick em 1953, adaptado por Jack Thorne, também autor da peça “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” (Harry Potter and the Cursed Child). Mesmo não se passando em um futuro distópico ou lidando com ficção científica (como os demais episódios da temporada), “The Commuter” se destaca como um dos pontos altos de “Electric Dreams”.

Cena do episódio 'The Commuter', da série 'Electric Dreams', mostrando Ed sendo encarado no café em Macon Heights

Dirigido por Tom Harper (“Misfits”), o episódio deixa margem para várias interpretações. Originalmente, a história se tratava de realidades alternativas, mas esta releitura permite abstrair bastante e enxergar o ato de se pegar o trem para a cidade perfeita como uma grande metáfora, especialmente depois que se fica sabendo qual foi o fim do criador de Macon Heights. Selecione o texto logo após a imagem final do post para ler qual foi a minha interpretação.

Com uma performance cativante e precisa, Timothy Spall é o grande destaque na atuação deste episódio. Hayley Squires, que interpreta a simpática garçonete do café em Macon Heights, também tem ótimos momentos. O episódio ainda conta com a participação de Tuppence Middleton, que interpreta Riley em “Sense8”.

“The Commuter” talvez seja o melhor episódio desta primeira temporada de “Electric Dreams”, mas requer alguma capacidade de abstração para um bom aproveitamento. O episódio é um grande exemplo de que o trabalho de Philip K. Dick é visionário e capaz de provocar grandes reflexões.

NOTA: 9 / 10

Foto promocional do episódio 'The Commuter', da série 'Electric Dreams', mostrando Linda

SPOILERS (Selecione o texto a seguir para ler): Na minha interpretação, o ato de se pegar o trem para uma cidade perfeita representa o escapismo, a fuga da realidade, que pode ser alcançada  também por meio de drogas pesadas. Segundo uma das personagens do episódio, o criador de Macon Heights morreu de overdose, o que explicaria esta abordagem. Outra alusão às drogas ocorre quando os personagens alertam o protagonista sobre o fato da cidade ser viciante.

Comentários

Deixe uma resposta