ESPECIAL ORIGINAIS NETFLIX – O que achei do filme “First They Killed My Father”

Pôster do filme 'First They Killed My Father'

Loung Ung (Srey Moch Sareum) é uma garota de apenas 7 anos que vivencia todo o horror causado pelo regime do Khmer Rouge, iniciado no Camboja em 1975. A menina testemunha os assassinatos, a fome e a escravidão, além de ser treinada para se tornar um soldado para atuar na linha de frente contra os vietnamitas.

Baseado na autobiografia homônima da verdadeira Loung Ung, “First They Killed My Father” (មុនដំបូងខ្មែរក្រហមសម្លាប់ប៉ារបស់ខ្) é dirigido e co-roteirizado por Angelina Jolie. A atriz e diretora já vem trabalhando como ativista humanitária no Camboja desde 2001 e se tornou cidadã cambojana em 2005. Por sinal, um de seus filhos, Maddox, nasceu no país e é um dos produtores executivos do filme.

Cena do filme 'First They Killed My Father', mostrando o Khmer Rouge tomando o Camboja

Jolie optou por rodar o longa na região, usando apenas atores cambojanos falando essencialmente o Khmer, a língua oficial do país. Mesmo com um orçamento que não é exatamente grandioso (24 milhões de dólares), para os padrões de Hollywood, o filme tem ares de super produção: conta mais de 3500 figurantes cambojanos e se passa em várias locações.

O filme assume a perspectiva da pequena Loung em alguns momentos, tanto no que ela realmente vê como em seus sonhos, e isso permite ao espectador se envolver ainda mais com a história. A trilha sonora é um tanto minimalista, mas captura a atmosfera assustadora e opressiva das sequências.

Cena do filme 'First They Killed My Father', mostrando a protagonista

Mesmo sem contar com nomes estelares, as atuações são muito boas, com destaque para a pequena Srey Moch Sareum e para Kompheak Phoeung e Socheta Sveng, que interpretam o pai e a mãe de Loung, respectivamente. Mesmo com poucas falas, os atores conseguem demonstrar através de suas expressões toda a dor e sofrimento que sentem ao longo do filme.

“First They Killed My Father” cumpre um papel histórico importante ao dramatizar com assustador realismo o regime do Khmer Rouge. Um excelente trabalho de Angelina Jolie e que se tornou representante cambojano para concorrer às indicações de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar do ano que vem. E com muitas chances de vencer.

NOTA: 9 / 10

E chegamos ao fim do Especial Originais Netflix, próximo mês teremos um novo tema!

Quer ver todos os posts do Especial Originais Netflix? É só clicar aqui! Gostou da review? Quer sugerir um tema para o próximo mês? É só postar nos comentários.

Comentários

Deixe uma resposta