ESPECIAL SONIC — O que achei do jogo “Sonic the Hedgehog” (2013)

Pôster do remake de 'Sonic the Hedgehog' para mobile devices

E o tema deste mês é… SONIC! Ao longo deste mês, todo fim de semana teremos um post sobre os jogos old-school do ouriço da SEGA. Hoje, começamos pelo início, pelo primeiro jogo do personagem!

Lançado originalmente em 1991 para o Mega Drive (Genesis nos EUA), o jogo “Sonic the Hedgehog” fez um sucesso absurdo. Tanto que virou o mascote da SEGA, que concorria diretamente com a Nintendo, que tinha nada menos que o encanador Mario. Mais de 20 anos depois, com o advento dos smartphones, nada mais natural do que ver o ouriço dar as caras nos celulares também.

Foto de momento do jogo 'Sonic the Hedgehog' para dispositivos móveis, mostrando Sonic na Marble Zone

O jogo chegou ao iOS em 2009, em uma versão emulada, produzida pela Backbone Entertainment. Com controles imprecisos, um frame rate inconstante e nenhuma novidade em relação ao jogo original, os fãs ficaram decepcionados. Até que um deles, Christian Whitehead, foi contratado para desenvolver o remake do jogo, depois seu incrível trabalho com o remake de Sonic CD (assunto do próximo fim de semana).

Desenvolvida com a Retro Engine de Whitehead, a nova versão do jogo “Sonic the Hedgehog” saiu em 2013 para iOS e, pela primeira vez, Android. Resolução superior, integração com rankings on-line, e até mesmo a remasterização das músicas originais. E não é só isso: aqui há a possibilidade de se controlar também os personagens Tails e Knuckles (mediante o uso de truques), que não estavam presentes na versão original.

Foto de momento do jogo 'Sonic the Hedgehog' para dispositivos móveis, mostrando Knuckles na Labyrinth Zone

A experiência de se jogar “Sonic” em um celular é um pouco estranha, mas não é ruim. Embora os controles se sobreponham ao cenário, a precisão deles é grande e o esquema lembra um pouco a jogabilidade de consoles portáteis. O fato da tela do jogo se adequar à resolução do dispositivo onde se está jogando é outro fator positivo, já que na versão emulada, ela correspondia a uma fração da tela do dispositivo, ficando “emoldurada” em artes do jogo.

“Sonic the Hedgehog” faz parte da lista de jogos “SEGA Forever”, que é uma iniciativa da empresa para trazer clássicos dos consoles mais antigos para os dispositivos móveis, no formato freemium. Ou seja, o jogo pode ser baixado e jogado de graça, mas várias propagandas podem aparecer no decorrer do uso. Se quiser eliminá-las, é necessário pagar US$ 1,99. Quem comprou o jogo antes deste ano pode eliminar as propagandas sem custo adicional.

NOTA: 9 / 10

PS: Este review foi feito com base na versão para iOS.

Quer ver todos os posts do Especial Sonic? É só clicar aqui! Gostou da review? Quer sugerir um tema para o próximo mês? É só postar nos comentários.

Comentários

Deixe uma resposta