O que achei do filme “Valerian e a Cidade dos Mil Planetas”

Foto promocional do filme 'Valerian e a Cidade dos Mil Planetas', mostrando Valerian e Laureline

“Valerian e a Cidade dos Mil Planetas” (Valérian et la Cité des Mille Planètes) é baseado nos quadrinhos franceses de ficção científica “Valérian et Laureline”, criados por Pierre Christin e Jean-Claude Mézières. O filme foi roteirizado e dirigido por Luc Besson, o grande nome por trás de sucessos do gênero como “O Quinto Elemento” (The Fifth Element, 1997) e Lucy (2014). Ainda por cima, o filme contou com um orçamento altíssimo de aproximadamente 200 milhões de dólares. Infelizmente, apesar de tudo isso, o longa deixa a desejar.

No século XXVIII, a Estação Espacial Internacional se tornou “Alpha”, uma cidade onde criaturas de diversos planetas vivem, trocando conhecimento e cultura. Para preservar a paz no universo, há uma divisão de polícia, da qual o major Valerian (Dane DeHaan) e a sargento Laureline fazem parte. Enquanto Valerian tenta conquistar Laureline, os dois recebem uma missão, cujos desdobramentos podem significar o fim da harmonia e da paz no universo.

Cena do filme 'Valerian e a Cidade dos Mil Planetas', mostrando Valerian e Laureline assustados

Durante praticamente o filme todo, fica bem claro que a missão dos protagonistas parece ser menos importante do que o seu romance bobo, quase adolescente. O que era pra ser algo cômico acaba sem graça e chato. Alguns segmentos também soam aleatórios e dispensáveis, como toda a sequência em que Valerian precisa resgatar Laureline da tribo primitiva (especialmente a sequência onde Bubble surge).

Com trilha sonora de Alexandre Desplat, de “A Garota Dinamarquesa” (The Danish Girl, 2016), o destaque do longa é o visual. Tecnicamente, pode-se dizer que “Valerian” estabelece novos padrões para filmes com computação gráfica. É impressionante, por exemplo, como os habitantes do planeta Mül são extremamente similares aos seres humanos, fruto do uso de motion-capture.

Cena do filme 'Valerian e a Cidade dos Mil Planetas', mostrando Bubble em sua forma humana

Dane DeHaan e Cara Delevingne até que tem alguma química, mas seu romance chato acaba ofuscando um pouco da simpatia que se poderia ter por ambos — especialmente Delevingne, cujo carisma já não é grande. O longa conta com a participação de Rihanna, como a metamorfo Bubble e ainda Clive Owen e Ethan Hawke.

“Valerian e a Cidade dos Mil Planetas” chama mais a atenção por seu visual do que por sua história, que gasta muito tempo em uma DR dos protagonistas. O filme não está tendo um bom retorno comercial: ficou em 5o. lugar nas bilheterias americanas, quando estreou, ao lado de “Dunkirk” (que dominou o ranking da ocasião). E até o momento, o longa sequer conseguiu se pagar.

NOTA: 7.5 / 10

Comentários

Deixe uma resposta