O que achei do filme “Meu Malvado Favorito 3”

Pôster do filme 'Meu Malvado Favorito 3'

Agentes da Liga Anti-Vilões, Gru (Steve Carell / Leandro Hassum) e Lucy (Kristen Wiig / Maria Clara Gueiros) são enviados para impedir que o vilão oitentista Balthazar Bratt (Trey Parker / Evandro Mesquita) roube um valioso diamante, mas não têm sucesso e acabam demitidos. Como uma obra do destino, Gru descobre que possui um irmão gêmeo, Dru (Steve Carell / Leandro Hassum) e vai encontrá-lo junto com sua família.

Roteirizado por Cinco Paul e Ken Daurio, a mesma dupla que escreveu os dois filmes anteriores, fica bastante evidente que “Meu Malvado Favorito 3” (Despicable Me 3) tem como função principal manter a franquia viva. E, para tanto, os roteiristas resolveram acrescentar novos personagens —uma ideia bastante utilizada para se prolongar uma franquia, por sinal — em meio a uma história que parece ser uma salada de ideias, com pouquíssimo nexo entre si.

Cena do filme 'Meu Malvado Favorito 3', mostrando Gru apontando uma arma de brinquedo contra Balthazar Bratt

Pra começar, temos um vilão inspirado nos anos 80, cujas ações normalmente estão acompanhadas de uma música famosa da época. Logo depois, é revelada a existência de Dru e, consequentemente, da mãe dos dois, que faz uma aparição bem rápida na película. Ainda se tenta trabalhar o lado maternal de Lucy, o retorno de Gru à vilania, uma paixonite de Margo e a desilusão dos minions com seu chefe. O desenvolvimento do filme é bem irregular e, diante de tudo isso, não tinha como ser diferente.

Houve um grande investimento na trilha sonora neste 3o. capítulo. Além de contar, novamente, com músicas originais de Pharrell Williams (mas nada comparado ao mega sucesso que foi “Happy”), há a presença de diversas músicas dos anos 80, como “Bad” de Michael Jackson, “Take on Me” do A-ha e “Into the Groove” de Madonna, graças ao divertido Balthazar Bratt. Outro destaque é a canção “Papa Mama Loca Pipa”, cantada pelos minions durante o filme. A canção é uma paródia de “I Am the Very Model of a Modern Major-General”, da ópera “The Pirates of Penzance” (1879).

Foi um grande sacada da dublagem brasileira convocar Evandro Mesquita, extremamente popular na década de 80, para dar voz a Balthazar Bratt. O ator não faz feio e dá um tom bastante cômico para o personagem. Leandro Hassum já incorporou muito bem o Gru; o desafio agora era interpretar Dru, mas até que ele se saiu bem. Mas, como no segundo filme, a voz e a entonação de Maria Clara Gueiros não combinam muito com a energia de Lucy.

“Meu Malvado Favorito 3” não vai conquistar o espectador com sua história, mas o carisma das personagens e o ritmo frenético certamente são garantia de sucesso entre as crianças. E os números não deixam mentir: até o momento, o filme fez quase 900 milhões de dólares mundialmente e já está entre as 11 animações de maior bilheteria de todos os tempos. Há alguns extras durante os créditos do filme, mas não há cena adicional depois disso.

NOTA: 7 / 10

Comentários

Deixe uma resposta