O que achei do filme “Fome de Poder”

Pôster do filme 'Fome de Poder'

Ray Kroc (Michael Keaton) é um vendedor porta a porta de produtos para lanchonetes, sem sucesso. Ao receber uma grande encomenda de uma lanchonete, ele decide ir pessoalmente até San Bernardino, na Califórnia, curioso para conhecer o comprador. Lá, ele encontra o McDonald’s, uma lanchonete inovadora e altamente popular, criada pelos irmãos Maurice “Mac” McDonald (John Carroll Lynch) e Richard “Dick” McDonald (Nick Offerman). Percebendo o potencial em relação aos concorrentes, Kroc decide entrar na sociedade e expandir a lanchonete, criando franquias pelos EUA. Mas a visão de Kroc bate de frente com as ideologias dos irmãos Donald.

“Fome de Poder” (The Founder, 2016) é um filme que mostra como se deu ascensão da rede de lanchonetes McDonald’s, pelas mãos de Ray Kroc. O roteiro de Robert D. Siegel estava entre os eleitos de 2014 no site “The Black List”, que agrega roteiros não realizados, e é baseado na autobiografia de Ray Kroc, “Grinding It Out: The Making of McDonald’s”. Mas não se engane: nem tudo ocorreu da forma que é apresentada no filme. Por exemplo, na realidade, os irmãos Donald já possuíam várias franquias, mas não queriam ficar responsáveis por continuar expandindo a companhia, tarefa que ficou a cargo de Kroc.

Cena do filme 'Fome de Poder', mostrando Kroc inaugurando mais uma franquia do McDonald's

O longa não chega a ser uma cinebiografia, pois o foco é basicamente a evolução da carreira de Kroc depois que se envolve com o McDonald’s. Isso não é necessariamente um problema, mas torna o filme um tanto unidimensional, por deixar de lado muitos dos aspectos pessoais dos personagens da história, particularmente as mulheres. Um prato cheio para quem gosta de empreendedorismo, o filme também provoca uma reflexão sobre a frieza do capitalismo: é interessante perceber a mudança da percepção que se tem do protagonista ao longo do filme.

Há um ótimo trabalho de design de produção, que chama bastante a atenção nas sequências que se passam dentro dos restaurantes / lanchonetes. Por sinal, alguns deles foram construídos do zero especialmente para o filme, com um grau de fidelidade muito grande. O segmento que ilustra a história dos Donald, no início do longa, utiliza filmagens e fotografias de época, para ilustrar a história que eles contam: algumas reais, outras claramente encenadas, no entanto.

Cena do filme 'Fome de Poder', mostrando Nick Offerman e John Carroll Lynch abraçados'

Ray Kroc é interpretado pelo ótimo Michael Keaton, que consegue transmitir um carisma muito grande, principalmente na primeira metade do longa. A energia e a ambição do personagem são bem retratadas; Keaton ainda dá uma palhinha como cantor! Mesmo sendo personagens secundários, os irmãos Donald têm vários momentos interessantes, graças aos atores Nick Offerman e John Carroll Lynch, que conferem humanidade e personalidade a cada um dos irmãos. O longa ainda conta com a participação bem discreta de Laura Dern e Patrick Wilson.

“Fome de Poder”, que estreia hoje no Brasil, estava inicialmente previsto para Agosto do ano passado. O longa acabou estreando limitadamente nos EUA em Dezembro, graças a uma decisão estratégica da distribuidora, que visava conquistar indicações para o Oscar deste ano. Provavelmente por conta da falta de timing, a estratégia não funcionou, já que não houve uma indicação sequer para o filme na premiação.

NOTA: 8.5 / 10

Comentários

Deixe uma resposta