O que achei do filme “A Qualquer Custo”

Foto promocional para o filme 'A Qualquer Custo', mostrando Toby e Tanner

No interior do Texas, os irmãos Toby (Chris Pine) e Tanner (Ben Foster) decidiram tomar uma atitude drástica em relação ao vencimento da hipoteca da fazenda da família. Eles pretendem arranjar o dinheiro necessário assaltando as agências do próprio banco que está cobrando a hipoteca. Esta atitude deles não vai passar impune, ao passo que o delegado Marcus Hamilton (Jeff Bridges) começa a investigá-los, como último ato antes de se aposentar.

O roteiro de “A Qualquer Custo” (Hell or High Water, 2016), de Taylor Sheridan, figurou entre os melhores de 2012, no site The Blacklist, que reúne roteiros não-realizados. As histórias de pistolagem e caubóis do velho-oeste provavelmente serviram de inspiração para o roteiro deste filme, que tem êxito ao atualizar o gênero. A trama é construída com cuidado, desenvolvendo bem os personagens e suas relações e consegue atender às expectativas que vão se criando ao longo do filme.

Foto promocional para o filme 'A Qualquer Custo', mostrando os personagens Marcus e Alberto

Além disso, há uma grande crítica social em relação ao capitalismo. Toby e Tanner, especialmente o primeiro, tentam fazer uma justiça que remete à ideologia de Robin Hood. Suas motivações não justificam os seus atos, claro, mas é impossível não pensar que os bancos praticamente tornam seus clientes prisioneiros de uma política de juros e taxas severa e, muitas vezes, exagerada. O longa faz questão de frisar isso, fazendo com que outros personagens também destilem suas amarguras em relação aos bancos.

O longa também se destaca pelas atuações. Jeff Bridges tem uma presença de cena muito grande e confere ao seu personagem uma personalidade forte e, ao mesmo tempo, afetuosa (a seu modo). A interpretação de Chris Pine está boa e ele consegue expressar que Toby está determinado a se vingar dos bancos, embora saiba que isso vai de encontro às suas convicções. E a ótima performance de Ben Foster faz com que a ousadia de Tanner o transforme em protagonista das sequências mais frenéticas.

Cena do filme 'A Qualquer Custo', mostrando Ben Foster utilizando uma Sniper

Com um ótimo roteiro e atuações convincentes, “A Qualquer Custo” foi considerado um dos melhores filmes do ano pela crítica. O longa estreou nos cinemas brasileiros no início deste mês, praticamente 6 meses depois da estreia americana, e recebeu indicações em várias premiações, inclusive no Oscar: Melhor Filme, Melhor Edição, Melhor Roteiro e Melhor Ator Coadjuvante (Bridges).

NOTA: 9 / 10

Comentários

Deixe uma resposta