O que achei do filme “Estrelas Além do Tempo”

Pôster do filme 'Estrelas Além do Tempo'

Continuando a maratona para o Oscar, hoje estreia um filme que tem sido sensação nas últimas premiações, como o SAG Awards, ocorrido no último Domingo. “Estrelas Além do Tempo” (Hidden Figures, 2016) vem fazendo muito sucesso no exterior (a estreia americana foi no último Natal), tanto com a crítica, como com o público (o filme permaneceu no topo das bilheterias em suas duas primeiras semanas de exibição). E o filme faz por merecer toda a atenção que vem recebendo!

Em 1961, os EUA e a União Soviética disputam a corrida espacial, ao mesmo tempo em que há uma grande cisão racial nos EUA. Katherine Goble (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe) são matemáticas muito competentes, que trabalham na ala Oeste da NASA, no local reservado para as pessoas negras. Pressionada pelo governo norte-americano, a NASA vem trabalhando duro para enviar astronautas americanos para o espaço. As três amigas não só pretendem contribuir com essa missão, mas também, tentar provar seu valor, em meio ao preconceito com o qual precisam lidar diariamente.

Cena do filme 'Estrelas Além do Tempo', mostrando Katherine ao lado de seus colegas brancos na NASA

O longa é baseado no livro homônimo, escrito por Margot Lee Shetterly, que relata histórias reais de mulheres afro-americanas que trabalharam na NASA. A adaptação de Theodore Melfi e Allison Schroeder toma algumas liberdades ficcionais para maior efeito dramático, que contribuem para uma melhor compreensão do comportamento social que existia na época. Outro detalhe importante é que o livro foi lançado pouco tempo antes da estreia americana do filme: os roteiristas trabalharam basicamente com anotações e manuscritos do livro de Margot.

O ritmo do longa é bem leve, com alguns poucos momentos dramáticos. O roteiro alterna entre as três personagens, cada uma vivenciando as dores de ser uma mulher negra nos EUA dos anos 60, com uma pequena prioridade para a história de Katherine. Mas alguns acontecimentos são tão pouco explorados que as respectivas cenas poderiam ter sido suprimidas sem perdas. O filme também evita o didatismo excessivo, mas o clímax poderia ter sido melhor explicado.

Cena do filme 'Estrelas Além do Tempo', mostrando Octavia Spencer liderando as mulheres para o laboratório do IBM

Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe demonstram uma sintonia muito boa e as três transmitem verdade em seus papeis, embora haja uma certa afetação por parte de Monáe. Spencer tem uma presença tão grande que chega a ofuscar um pouco alguns colegas de cena, como Kirsten Dunst. Henson está bem e tem grandes cenas, mas fica a impressão de que faltou alguma coisa. O filme ainda conta com a presença de Jim Parsons, o Sheldon de “Big Bang – A Teoria” (The Big Bang Theory, 2007), Mahershala Ali e Kevin Costner.

Provocando uma discussão que, infelizmente, ainda é atual, “Estrelas Além do Tempo” não só joga luz sobre a forma como a mulher é tratada no mercado de trabalho, mas principalmente sobre a discriminação racial, inclusive em meios onde o intelecto é o que deveria ser relevante. O longa recebeu 3 indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Atriz Coadjuvante (Octavia Spencer). Com concorrentes fortes, será que consegue levar algum dos prêmios? Vamos esperar pra ver.

NOTA: 9 / 10

Comentários

Deixe uma resposta