O que achei dos Golden Globe Awards 2017

Foto de Ryan Gosling e Emma Stone posando com seus prêmios após a cerimônia dos Golden Globe Awards 2017

Os primeiros meses do ano sempre são agitados pela temporada de premiações de cinema e televisão. Na verdade, esta temporada iniciou precocemente, no mês passado, com o Critics’ Choice Awards. E, no último domingo, tivemos a premiação dos Golden Globe Awards 2017, que foram apresentados pela primeira vez por Jimmy Fallon. Normalmente, estas premiações são previsíveis demais, mas este ano tivemos algumas grandes surpresas, principalmente na categoria televisiva.

A abertura do evento foi espetacular. Em um videoclipe, Jimmy Fallon e vários outros artistas se juntaram, como se fosse um flashmob, e começaram a cantar e dançar, numa paródia de “La La Land – Cantando Estações” (La La Land, 2016). Foi muito divertido ver a enxurrada de referências que foram utilizadas. O monólogo inicial de Fallon teve um tom político bastante crítico em relação à Donald Trump, e este foi o tom utilizado por diversos outros atores em seus discursos.

Foto do momento em que Donald Glover agradece pelo prêmio de Melhor Comédia para a série 'Atlanta', nos Golden Globe Awards 2017

No ramo televisivo, os prêmios de minissérie / filme para TV foram divididos entre “American Crime Story: The People v. O.J. Simpson”, eleita a melhor da categoria, e “The Night Manager”. Sarah Paulson, que fez Marcia Clark na primeira, e Tom Hiddleston foram laureados como melhores atores. No ramo de comédia, a novata “Atlanta” repetiu o feito do Critics e foi eleita a melhor série. Seu protagonista, Donald Glover, ainda levou o prêmio de melhora ator na categoria, enquanto Tracee Ellis Ross, de “Black-ish”, levou o prêmio de melhor atriz, superando favoritos como Jeffrey Tambor e Julia Louis-Dreyfus.

Foto do momento em que Claire Foy agradece por seu prêmio nos Golden Globe Awards 2017

Na categoria de série de drama, algumas surpresas. “The Crown”, da Netflix, derrotou gigantes como “Game of Thrones” e “Westworld” e foi eleita a melhor série. Mas não parou por aí: Claire Foy, a protagonista, ganhou o prêmio de melhor atriz, superando Evan Rachel Wood (que levou o prêmio nos Critics). Finalizando o campo das séries, Hugh Laurie e Olivia Colman, ambos de “The Night Manager”, foram eleitos melhores atores coadjuvantes – nesta categoria, concorriam todos os gêneros.

No campo cinematográfico, como já era de se esperar, o musical “La La Land” arrastou todos os 7 prêmios a que foi indicado: Melhor Filme Musical / Comédia, Melhor Atriz em Comédia (Emma Stone), Melhor Ator em Comédia (Ryan Gosling), Melhor Canção Original (“City of Stars”) Melhor Direção e Melhor Roteiro, estes últimos para Damien Chazelle, o nome por trás de “Whiplash: Em Busca da Perfeição” (Whiplash, 2014). Graças a isso, estabeleceu um recorde ao se tornar o longa que mais venceu prêmios na cerimônia.

Foto de Isabelle Huppert e Paul Verhoeven posando com seus prêmios após os Golden Globe Awards 2017

O vencedor do prêmio de melhor filme estrangeiro foi o ótimo “Elle” (2016), da França (que teve 2 representantes na categoria). A melhor animação foi “Zootopia: Essa Cidade é O Bicho” (Zootopia, 2016), derrotando “Moana: Um Mar de Aventuras” (Moana, 2016), também da Walt Disney Animation Studios, e o fantástico “Kubo e as Cordas Mágicas” (Kubo and the Two Strings, 2016).

“Moonlight: Sob a Luz do Luar” (Moonlight, 2016) foi eleito Melhor Filme de Drama, para a surpresa do elenco, e passa a ser o maior adversário de “La La Land” no Oscar que se aproxima. Casey Affleck, de “Manchester à Beira-Mar” (Manchester by the Sea, 2016) foi eleito melhor ator, assim como no Critics. Outra surpresa agradável, a francesa Isabelle Huppert foi eleita a Melhor Atriz em Filme de Drama, por seu papel em “Elle”, superando as favoritas americanas Natalie Portman e Amy Adams. Por fim, Aaron Taylor-Johnson foi eleito Melhor Ator Coadjuvante por “Animais Noturnos” (Nocturnal Animals, 2016) e Viola Davis a Melhor Atriz Coadjuvante por “Fences” (2016) no cinema (aqui entram todos os gêneros).

Foto mostrando o momento em que Meryl Streep discursa nos Golden Globe Awards 2017, com Viola Davis ao fundo

Viola Davis foi a responsável por entregar o prêmio Cecil B. DeMille Lifetime Achievement para Meryl Streep, que havia feito o discurso da inauguração da estrela de Davis na calçada da fama, na semana passada. Mesmo afônica, Streep fez um discurso onde criticou duramente a postura discriminatória e desrespeitosa de Trump, citando exemplos de atrizes talentosas com descendência não-americana. O evento ainda contou com uma homenagem em vídeo para Debbie Reynolds e Carrie Fisher, mãe e filha, falecidas no fim do ano passado.

A premiação atiçou bastante o público que está aguardando a chegada dos premiados nos cinemas brasileiros. “La La Land”, por exemplo, estreia nesta semana, mas “Moonlight” só vai chegar por aqui na última Quinta de Fevereiro. Outro ponto bastante interessante, principalmente depois de um “So-White Oscar”, foi a grande quantidade de artistas negros indicados e premiados aqui. Vamos ver se as indicações do próximo Oscar, que serão divulgadas no próximo dia 24, vão seguir um caminho parecido.

Foto da equipe do filme 'Moonlight' posando com o prêmio que ganhou, após a cerimônia dos Golden Globe Awards 2017

Comentários

Deixe uma resposta