O que achei do filme “Elle”

Cena do filme 'Elle', mostrando Michèle após o estupro'

Michèle (Isabelle Huppert) é uma mulher bem-sucedida, que utiliza seu pulso forte tanto na sua vida pessoal como na profissional. Vivendo sozinha com seu gato, ela acaba sendo vítima de um estupro por parte de um invasor encapuzado. Apesar da violência que sofreu, ela decide ignorar o fato e tentar seguir com sua vida, mas o estuprador volta a rondar sua vida. O que a impede de fazer algo a respeito?

Esta é a premissa de “Elle”, filme de suspense que vem cravando indicações como representante francês nas categorias de melhor filme estrangeiro em premiações de cinema como o Critics’ Choice Awards. O longa é dirigido por Paul Verhoeven, que também dirigiu “Instinto Selvagem” (Basic Instinct, 1992), e não é difícil enxergar similaridades entre as duas obras. O roteiro de “Elle” é baseado no livro “Oh…” escrito em 2012 por Phillippe Djan.

Cena do filme 'Elle', mostrando Michèle em uma reunião com os funcionários de sua empresa

Instigante desde a sequência de estupro, que abre o filme, “Elle” ainda abre espaço para a difícil relação de Michèle com sua família e as pressões de seu ambiente de trabalho. Por sinal, é interessante notar que a empresa de games que Michèle gerencia é composta majoritariamente por funcionários homens, o que rende uma boa cena onde um deles questiona sua competência. Os momentos de suspense, inclusive, são prazerosos de se assistir, graças à força da protagonista, que passa longe das frágeis e chorosas mocinhas de outros filmes.

Isso se deve à fabulosa performance de Isabelle Huppert, que domina completamente as suas cenas, prendendo a atenção do espectador até mesmo com os momentos de sarcasmo de sua personagem. O desempenho da atriz no longa já lhe rendeu vários prêmios e pode lhe garantir o Critics’ Choice Award de Melhor Atriz de Filme de Drama, para o qual está indicada.

Cena do filme 'Elle', mostrando Michèle e Patrick

A história principal de “Elle” vai ficando cada vez mais profunda conforme o filme avança. O perfil dos personagens vai sendo construído aos poucos e isso pode exigir um pouco de paciência do espectador que prefere um ritmo mais acelerado. O longa é um forte candidato à estatueta do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro deste ano, merecidamente.

NOTA: 9 / 10

Comentários

Deixe uma resposta