O que achei do filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam”

Pôster do filme 'Animais Fantásticos e Onde Habitam'

Não era difícil imaginar que o mundo do bruxo Harry Potter continuaria sendo explorado em várias mídias, mesmo depois da conclusão da saga nos livros e no cinema. Além do site Pottermore, que reune novas histórias e curiosidades, veio também uma peça de teatro na Inglaterra (que também já virou livro) que se passa um bom tempo depois da derrota de Voldemort pelas mãos de Harry. E não é só isso: a partir de agora, uma nova série de filmes roteirizados por ninguém menos que J. K. Rowling ganha as telas do cinema. O primeiro deles, “Animais Fantásticos e Onde Habitam” (Fantastic Beasts and Where to Find Them), estreou mundialmente este mês.

Em 1926, o magizoologista britânico Newt Scamander (Eddie Redmayne) chega em Nova Iorque de posse de uma maleta, que não tem nada de comum. A maleta abriga diversos animais do mundo da magia, conforme Scamander os encontrava em suas expedições. Entretanto, não demora muito para que a maleta seja aberta e alguns dos animais escapem pela cidade. E isso não poderia ocorrer em um momento mais delicado para os bruxos americanos, que evitam a exposição a todo custo, mas estão lidando com uma série de ataques misteriosos que vêm ocorrendo no mundo dos non-majs (trouxas).

Cena do filme 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' mostrando Newt e Tina

O filme marca a estreia de J. K. Rowling como roteirista de filmes e se baseia fundamentalmente no livro homônimo (também escrito por ela), que foi lançado em 2001. O longa ainda conta com o trabalho de velhos conhecidos dos filmes da franquia “Harry Potter”: o diretor David Yates, que dirigiu os 4 últimos filmes do bruxo, e os produtores David Heyman e Steve Kloves. Embora a história deste longa se passe no mesmo mundo mágico que os da franquia “Harry Potter”, o clima aqui é bem diferente.

Embora tente estabelecer um tom mais adulto, o texto de Rowling possui diversos momentos cômicos; alguns são um tanto longos. Por sinal, este é um dos problemas do roteiro: a verdadeira história demora um pouco para engatar, em meio às confusões de Scamander e sua maleta. Outro problema é a falta de background sobre os antagonistas da história, principalmente se comparado à introdução de Voldemort em “Harry Potter e a Pedra Filosofal” (Harry Potter and the Philosopher’s Stone, 2001). Por outro lado, as correlações com “Harry Potter” são bem aplicadas, como os feitiços e menções a personagens já conhecidos, o que vai agradar bastante aos fãs do bruxo.

Cena do filme 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' mostrando Graves e Credence

A ambientação e a caracterização dos personagens são pontos fortes do longa. O aspecto monocromático e frio das cenas em Nova Iorque faz um ótimo contraste com os ambientes coloridos e vivazes da maleta de Scamander; estes ambientes, inclusive, tem um aspecto similar aos dos cenários dos longas de “Harry Potter”, o que provavelmente foi proposital. Os efeitos visuais estão muito bons e a interação dos atores com os seres criados digitalmente está bem crível. O 3D aqui é usado com muita frequência e contribui para a imersão nas cenas mais agitadas do longa.

Finalmente em sua primeira participação em um filme do mundo de “Harry Potter”, Eddie Redmayne deixa um pouco a desejar como o desajeitado Scamander. E quando interage com outros personagens, sua atuação é idêntica a sua interpretação de Einar / Lili em “A Garota Dinamarquesa” (The Danish Girl, 2015), onde o semblante triste, tímido e desconcertado é bem mais apropriado. Já o desempenho de Katherine Waterston, que interpreta sua parceira Tina Goldstein, não é memorável: mesmo nas suas cenas mais interessantes, suas expressões não variam muito.

Cena do filme 'Animais Fantásticos e Onde Habitam', mostrando Kowalski e Queenie

O casal Kowalski (Dan Fogler) e Queenie (Alison Sudol) rouba a atenção em todas as suas cenas, ofuscando os protagonistas. Ambos os atores têm bastante carisma e conseguem dominar não só os momentos cômicos, mas também os mais emotivos do longa. “Animais” ainda conta com a presença de Colin Farrell (muito bem como Graves) e Ezra Miller, com uma atuação perturbadora como Credence; Jon Voight e Johnny Depp fazem pequenas mas boas participações, também.

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” vem fazendo bastante sucesso nas telonas (liderou as bilheterias brasileiras em seu primeiro fim de semana de exibição) e é uma boa forma de relembrar o mundo da magia. Este é o primeiro de uma série de 5 filmes, que não necessariamente vão ter Newt Scamander como protagonista. O próximo filme vai se passar no Reino Unido e em Paris e, por enquanto, não tem previsão de lançamento. Ah, não há cenas extras durante e nem após os créditos.

NOTA: 8 / 10

Comentários

Deixe uma resposta