O que achei de “American Horror Story: Roanoke”

Cena da série 'American Horror Story: Roanoke', mostrando a açougueira

Esta semana chegou ao final uma das temporadas mais singulares de “American Horror Story”, cujo título só foi realmente mostrado no último episódio. Pra quem não conhece, “AHS” tem o formato de antologia, onde cada temporada conta uma história de terror diferente; há algumas conexões entre elas, no entanto. A exibição de “Roanoke” começou e terminou em um mesmo ano, o que não acontecia desde a primeira temporada. Mesmo sendo a mais curta de todas, com 10 episódios, “Roanoke” certamente está entre as melhores surpresas do ano.

A história desta temporada mostra os acontecimentos surreais na vida de um casal, Matt e Shelby, depois que eles se mudam para uma casa colonial na Carolina do Norte, em busca de uma nova vida. A problemática irmã de Matt logo se junta a eles, trazendo sua filha Flora. Todos presenciam eventos sobrenaturais, até então inexplicáveis, até que Flora encontra uma entidade que os alerta que todos serão assassinados.

Cena da série 'American Horror Story: Roanoke

Com o desaparecimento de Flora, Lee contrata um médium para tentar descobrir o que acontece na casa e para encontrar sua filha. O médium consegue entrar em contato com a líder dos espíritos mortos, a “Açougueira”, a primeira habitante da colônia de Roanoke, extinta misteriosamente no século XVII. A açougueira afirma que não vai tolerar invasores em sua colônia e está determinada a matar todos, para o desespero de Matt, Shelby e Lee.

Isso é só o começo de “Roanoke”, que nos é apresentado inicialmente como um documentário chamado “My Roanoke Nightmare” (Meu Pesadelo em Roanoke). Os verdadeiros Shelby (Lily Rabe), Matt (André Holland) e Lee (Adina Porter) narram os acontecimentos, que são reencenados por atores, que são interpretados por Sarah Paulson, Cuba Gooding Jr. e Angela Bassett, respectivamente. Parece confuso? A partir do 6o. episódio, as coisas se misturam mais ainda (mas não é nada que seja difícil de entender)!

Cena da série 'American Horror Story: Roanoke', mostrando o momento em que os personagens encontram uma mancha de sangue em um quarto

Com isso, embora o pano de fundo ainda seja o horror em Roanoke, a série ganha um novo viés, ainda mais metalinguístico do que em seus primeiros episódios. A série passa a usar ângulos de câmera e filtros de imagem que remetem a gravações de celular, câmeras de monitoramento e microcâmeras, dando um aspecto de documentário / reality show — quase uma outra série. E, aqui, Ryan Murphy ganha uma deixa para expor suas críticas em relação aos reality shows, exploração de desgraças, julgamentos alheios, etc., através de seus personagens. Enquanto a primeira metade da série se arrasta um pouco, a segunda metade é bem mais interessante e não perde tempo com contextualizações.

Quando “Roanoke” nos mostra o ambiente da casa colonial, o clima é bem tenebroso e assustador. A temporada usa e abusa de cenas fortes, violentas e bem produzidas. Diferente de “Hotel”, aqui também temos menos personagens, o que permitiu que todos pudessem ser bem explorados; mesmo quase todas as participações especiais (algo que Ryan Murphy adora fazer em suas séries) tiveram alguma relevância.

Cena da série 'American Horror Story: Roanoke', mostrando Sarah Paulson e Evan Peters sentados

Esta temporada provavelmente foi muito dinâmica e prazerosa para os atores e isso transpareceu em tela. Todos tiveram um bom desempenho, com destaque para a camaleoa Sarah Paulson, que vive 3 personagens diferentes em uma mesma temporada. Desperdiçada em “Hotel”, aqui Kathy Bates teve uma melhor oportunidade de demonstrar seu talento, ao viver a atormentada atriz que interpreta a Açougueira. A série ainda contou com participações especiais de Lady Gaga, Taissa Farmiga, Jacob Artist e a drag Trixie Mattel, da 7a. temporada de RuPaul’s Drag Race.

O último episódio da temporada é o mais fraco (quase dispensável até), mas o saldo de “Roanoke” é bastante positivo. Enquanto a criatividade de Ryan Murphy continuar possibilitando este tipo de inovação na antologia “AHS”, ela provavelmente vai durar muitos anos. Falando nisso, já foi liberado um teaser sobre a próxima temporada: tudo indica que o cenário onde se passará o horror será um navio, o que parece muito promissor. Vamos aguardar ansiosos!

NOTA: 9 / 10

Cena da série 'American Horror Story: Roanoke', mostrando Shelby sendo atacada por Agnes

Comentários

Deixe uma resposta