O que achei do filme “O Silêncio do Céu”

Foto de cena do filme 'O Silêncio do Céu', mostrando Carolina Dieckmann como Diana

Diana (Carolina Dieckmann) está deitada, aterrorizada. Sobre ela estão dois homens, um armado de um punhal enquanto o outro aponta uma pistola para sua cabeça. Mesmo indefesa e sem poder gritar por socorro, ela ainda tenta lutar para evitar o abuso, sem sucesso. Então, rapidamente os homens fogem e Diana cai em prantos, com seu vestido e sua dignidade dilacerados.

Esta sequência de estupro inicia o filme “O Silêncio do Céu” (Era El Cielo), dirigido por Marco Dutra, baseada no livro “Era El Cielo”, do argentino Sergio Brizzio. Nesta primeira sequência, não há tomadas explícitas e a trilha sonora não faz uso de músicas de efeito. Mas, mesmo assim, é impossível não ficar impactado pela força das interpretações dos atores, pela direção eficiente e, principalmente, por toda a situação em si.

Foto de cena do filme 'O Silêncio do Céu', mostrando Mario

O marido de Diana, Mario (Leonardo Sbaraglia), testemunhou tudo, por acaso, sem ser visto. Ele não conseguiu agir, compreensivelmente, por medo de que a situação terminasse em uma tragédia. Entretanto, apesar de passar a se comportar de uma forma diferente depois do ocorrido, Diana não conta nada para Mario. E, apesar de toda a perturbação que isto lhe causa, ele também não menciona nada. E esse silêncio começa a minar a relação dos dois.

“O Silêncio do Céu” faz um bom uso do recurso narrativo, que tenta transmitir em palavras o psicológico dos personagens, ao invés de descrever situações. O filme também alterna entre os protagonistas, o que permite ao espectador ver e compreender a perspectiva de cada um sobre alguns fatos. O longa alterna entre o espanhol e o português, já que Diana é uma brasileira morando no Uruguai.

Cena do filme 'O Silêncio do Céu', mostrando Mario em um carro

Ambos os protagonistas têm uma carga dramática muito grande e seus intérpretes demonstram segurança, além de bastante cumplicidade. O silêncio também predomina em várias cenas, mas os olhares e expressões de Carolina Dieckmann e Leonardo Sbaraglia são tão precisos e marcantes que falam por eles mesmos.

Além de trabalhar o drama do casal, Dutra foca bastante no suspense ao longo da narrativa, sem deixar as sutilezas de lado. É bom lembrar também que, de acordo com o próprio Dutra, o filme foi inteiramente produzido com recursos brasileiros. Com um desenvolvimento fluido, atuações primorosas e uma direção que não busca sensacionalizar suas sequências mais fortes, “O Silêncio do Céu” é um dos melhores filmes nacionais do ano.

NOTA: 9.5 / 10

>

Comentários

Deixe uma resposta