O que achei dos 2016 Emmy Awards

Foto do momento em que Rami Malek recebe seu prêmio e discursa na cerimônia do Emmy 2016

Nas últimas semanas, ocorreu a cerimônia do Emmy Awards 2016, a maior premiação da televisão americana – o “Oscar” do ramo, por dizer assim. Nos dias 10 e 11, ocorreu a entrega dos prêmios de menor relevância, os Creative Arts. No último domingo, foi a vez da entrega dos prêmios mais importantes, apresentada por Jimmy Kimmel, que foi transmitida em tempo real pelo canal Warner aqui no Brasil. A apresentação de Kimmel foi bem divertida, com destaque para a esquete inicial, que o mostrava pegando caronas até a cerimônia com diversas personalidades de séries e programas de TV. Uma coisa pode ser dita a respeito da cerimônia deste ano: foi uma celebração da diversidade e, com a correção de algumas injustiças, tivemos ótimas surpresas!

Foto do tapete vermelho do Emmy 2016, mostrando Sarah Paulson e Marcia Clark

Como já era esperado e justo, “The People v. O. J. Simpson: American Crime Story” levou quase todos os prêmios a que foi indicado. Sarah Paulson levou o prêmio de Melhor Protagonista em Série Limitada, por seu excelente desempenho como Marcia Clark. Por sinal, Sarah convidou a verdadeira Marcia Clark para a cerimônia e, ao receber seu prêmio, fez um discurso em que a pediu desculpas por ter feito uma leitura displicente e subjetiva dos acontecimentos na época, julgando-a mal. Courtney B. Vance e Sterling K. Brown também tiveram seus talentos reconhecidos e também levaram prêmios por seus papeis. “American Crime Story” também levou o prêmio de Melhor Série Limitada.

Com os prêmios que ganhou este ano, incluindo o de Melhor Série de Drama, “Game of Thrones” bateu o recorde de série de drama mais premiada na cerimônia: foram 38 prêmios dentre 106 indicações, números que provavelmente vão aumentar com as próximas temporadas. A maioria desses números se refere a categorias técnicas. Este ano, apesar das várias indicações, os atores só ganharam um prêmio, o de Melhor Elenco. E, como eu previ, o episódio “Battle of Bastards” chamou tanto a atenção que foi contemplado com os prêmios de Melhor Direção e Melhor Roteiro (embora eu ache que o episódio piloto de “Mr. Robot” merecesse este último bem mais).

Foto do elenco de Game of Thrones posando para fotos após o Emmy 2016

Julia Louis-Dreyfus levou o prêmio de Melhor Atriz de Comédia, pela 5a. vez consecutiva, por seu trabalho em “Veep”, também eleita Melhor Comédia. Jeffrey Tambor levou o prêmio de Melhor Ator de Comédia, pela segunda vez consecutiva, pela série “Transparent”, da Amazon. Seu aplaudido discurso promoveu a inclusão dos transgêneros, principalmente nos papeis de transgêneros. Pra coroar o final de “Downton Abbey”, Dame Maggie Smith recebeu o prêmio de Melhor Atriz de Série de Drama, para a “revolta” de Kimmel, que acha injusto que ela tenha ganho 3 Emmys e nunca tenha comparecido para recebê-los. Lógico, tudo não passava de uma piada.

As séries da Netflix também fizeram bonito: “Master of None”, “Bloodline”, “Making a Murderer” e “Jessica Jones” estiveram entre as vencedoras. Esta última levou Melhor Tema de Abertura, derrubando “Tuyo”, tema de “Narcos”, composto pelo brasileiro Rodrigo Amarante. A Netflix também levou o prêmio de Melhor Documentário por “What Happened, Miss Simone?”. E, apesar de não ter vencido o Oscar, a canção de Lady Gaga e Dianne Warren para o documentário “The Hunting Ground”, “Til It Happens to You”, levou o prêmio de Melhor Música Original.

Foto de RuPaul com o prêmio que ganhou no Emmy 2016

Dentre as surpresas / justiças deste ano, tivemos o tardio reconhecimento da ótima performance de algumas estrelas. RuPaul finalmente recebeu uma indicação ao Emmy e acabou levando o prêmio de Melhor Apresentador de Reality Show, pela 8a. temporada de “RuPaul’s Drag Race” (que não é a melhor temporada, mas é ótima). E Tatiana Maslany, a atriz camaleoa da série “Orphan Black”, conseguiu desbancar grandes concorrentes como Viola Davis e Robin Wright e levou o prêmio de Melhor Atriz de Série de Drama. Não que as outras atrizes tenham feito performances inferiores, mas estava mais do que na hora do reconhecimento da dinamicidade e do talento de Maslany.

Outra surpresa, pelo menos para mim, foi a vitória de “Sherlock: The Abominable Bride”, na categoria de Melhor Filme / Especial para Televisão. E, quando Rami Malek venceu a categoria de Melhor Ator de Drama, por seu trabalho em “Mr. Robot”, foi possível perceber que este Emmy realmente foi diferente. Um diferente muito bom, olhando para os talentos (novatos, até) das séries que não são tão populares. Espero que as demais premiações que vem por aí também sigam o exemplo e deixem de valorizar os mesmos talentos, sempre.

Foto de Tatiana Maslany posando com o prêmio que recebeu no Emmy 2016

Comentários

2 comentários sobre “O que achei dos 2016 Emmy Awards”

Deixe uma resposta