O que achei do primeiro episódio da série “A Rainha do Sul”

Imagem promocional da série 'A Rainha do Sul'

Na última quinta-feira, o canal Space trouxe a estreia da série “A Rainha do Sul” (Queen of the South), baseada no romance “La Reina Del Sur” escrito por Arturo Pérez-Reverte, que já tinha rendido uma novela homônima de sucesso produzida pela Telemundo e que também já foi transmitida no Brasil pela Globosat. Esta versão já vem sendo exibida pelo USA Network (o mesmo canal que exibe a incrível “Mr. Robot”) desde o dia 23 de Junho. Um dos grandes atrativos para se assistir à série é que a protagonista é interpretada pela brasileira Alice Braga, que dispensa apresentações. Será que ela vai conseguir fazer sucesso nesta sua estreia na TV americana?

Neste primeiro episódio, somos apresentados à Teresa Mendoza (Alice Braga), que se envolve com “El Güero” (Jon-Michael Ecker), um dos traficantes em ascensão do cartel de Sinaloa, no México. Só que os demais membros do cartel descobrem que Güero estava fazendo negócios por conta própria e o assassinam, a mando do chefe do cartel, Don Epifanio (Joaquim de Almeida). Teresa, que já estava ciente de que alguma coisa poderia acontecer a seu namorado, consegue ganhar algum tempo, mas logo é capturada pela ex-esposa do líder do cartel, Dona Camila (Veronica Falcon), que está iniciando a expansão dos negócios no Texas. Camila parece estar disposta a poupar Teresa, se esta seguir suas ordens.

Cena do primeiro episódio da série 'A Rainha do Sul', mostrando Teresa e Güero

Com temática similar à de “Narcos”, “A Rainha do Sul” compartilha também das narrações em off pela protagonista e dos diálogos falados em inglês e em espanhol (estes em menor escala, é verdade). A trilha sonora também é composta por músicas em espanhol e músicas instrumentais um tanto simplórias. Os efeitos visuais deste primeiro episódio deixaram um pouco a desejar (orçamento miúdo para primeiras temporadas normalmente dá nisso) e algumas cenas ficaram sem sentido, como a que Teresa está fugindo de um tiroteio e o povo que está nas ruas vai justamente na direção dos tiros.

Uma característica interessante é que, nos momentos de tensão, Teresa enxerga a versão de si mesma no futuro, como se fosse uma força interna da protagonista para superar a adversidade na qual se encontra. As sequências de ação também devem ser frequentes nos episódios seguintes, mas precisam ser aprimoradas. O tom novelesco do roteiro e dos atores é gritante, mas Alice Braga dá um tom mais sóbrio às expressões de Teresa, equilibrando um pouco esta equação. Por sinal, ela faz sua própria voz na dublagem em português, então é possível que as emoções da protagonista não sejam perdidas na versão tupiniquim. A primeira temporada da série ainda está em exibição nos EUA, terá 13 episódios e está sendo transmitida pelo Space às Quintas-Feiras às 22h30, com opção de idioma original (com legendas) e dublagem em português.

NOTA: 7,5 / 10

>

Comentários

Deixe uma resposta