O que achei de “Game of Thrones” – Temporada 6

Foto de cena da série 'Game of Thrones', mostrando Cersei sentada no trono

E o inverno chegou, enfim! Depois de 6 temporadas, diversas reviravoltas e muitas mortes, a série “Game of Thrones” finalmente parece estar caminhando para seu final (o que não quer dizer que essas coisas vão deixar de acontecer até lá). O último episódio da 6a. temporada, “The Winds of Winter”, foi exibido domingo passado pela HBO no mundo todo e passou a ser o mais assistido de toda a série, com quase 9 milhões de espectadores. Esta temporada foi a primeira a não utilizar os livros como referência, já que o autor, George R. R. Martin, ainda está escrevendo o próximo livro da saga “As Crônicas de Gelo e Fogo” (A Song of Ice and Fire).

Podemos dizer que esta foi uma temporada de recomeços, onde a maior parte dos personagens superou as adversidades que vivenciou, e acabaram tornando-se mais fortes e determinados a cumprir seus objetivos pessoais. Felizmente, aqui também temos o desenvolvimento (um tanto corrido) do arco de Bran Stark (Isaac Hempstead Wright), que esteve ausente durante toda a temporada passada; um arco repleto de revelações, diga-se de passagem. E, surpreendentemente (ou não), temos o retorno de personagens que, supostamente, já tinham deixado a história, com novas motivações e comportamentos.

Foto de cena da série 'Game of Thrones

Outra característica interessante do roteiro desta temporada é um maior protagonismo das mulheres da série (mais particularmente, nos últimos episódios). Sansa Stark (Sophie Turner), em especial, finalmente conseguiu deixar a passividade de lado e foi a grande responsável pelo desfecho da maior sequência de batalha da série (até agora). Ela passou a enxergar as coisas com um olhar mais racional, depois de tudo o que viveu, e busca ratificar a imponência do sobrenome de sua família. E não podemos deixar de falar de Cersei (Lena Headey) e Daenerys (Emilia Clarke), que também tiveram excelentes e grandiosos momentos nos episódios finais.

Mas nem tudo são flores. O arco de Arya Stark (Maisie Williams) ainda se arrastou até o final da temporada, como nas anteriores. A personagem possui um grande potencial, mas a série vem tornando-a tão incapaz que tem sido frustrante acompanhar sua saga. Além dela, a jornada de Samwell Tarly (John Bradley) para se tornar o novo meistre da Muralha da Noite está tão deslocada aqui que poderia muito bem ter sido deixada para uma temporada seguinte, onde fosse mais pertinente. Tyrion Lannister (Peter Dinklage), outro personagem forte, também foi subaproveitado nesta temporada, com direito a duas sequências de diálogos em Meereen que realmente não tinham outro propósito além de enrolar (a sequência em que estão contando piadas foi deprimente). Felizmente, tudo isso deve mudar nas temporadas seguintes.

Cena da série 'Game of Thrones', mostrando Jon Snow encarando os soldados inimigos na batalha dos bastardos

Do ponto de vista técnico, a sexta temporada de “Game of Thrones” conseguiu ser surpreendente mesmo depois de tantas cenas marcantes em episódios anteriores. Além de manter a qualidade dos cenários majestosos, dos efeitos visuais e do belíssimo figurino, a ousadia da direção dos episódios finais os elevou a patamares ainda não vistos na série. A sequência da batalha dos bastardos foi intensa e a coreografia dos atores / cavalos, o enquadramento das cenas, a edição e a trilha sonora a tornaram épica. Já a sequência inicial do último episódio tem uma carga de suspense muito bem trabalhada e uma fotografia belíssima. Ambas as sequências tem duração de mais de 20 minutos extremamente envolventes. Mas apesar da qualidade do último episódio, é provável que “The Battle of Bastards” acabe sendo o escolhido para tentar o Emmy Award em várias categorias deste ano (e deve levar alguma, provavelmente e merecidamente).

Apesar das pequenas falhas, pode-se dizer que esta temporada de “Game of Thrones” foi a melhor de todas até o momento, mas só porque conseguiu dar um rumo para a maioria das histórias (algumas tardiamente, como a de Arya). E a HBO já divulgou que as próximas temporadas terão menos episódios: a sétima terá 7 episódios e a oitava terá apenas 6. Mas, se a qualidade e a duração deles for igual a dos últimos episódios desta temporada, só podemos comemorar.

PS: Ainda estou querendo saber onde foi parar Gendry, o filho bastardo de Robert Baratheon, que sumiu da história na terceira temporada.

NOTA: 9 / 10

Cena da série 'Game of Thrones' mostrando Daenerys Targaryen saindo das chamas

Comentários