O que achei do primeiro episódio da série “Scream” – 2a. Temporada

Foto promocional da segunda temporada da série 'Scream'

Quem estava com saudades de terror adolescente, pode se alegrar: a segunda temporada da série “Scream” estreou mundialmente no início deste mês. Inspirada pelos filmes da franquia “Pânico” (Scream), a série é produzida pela MTV Americana, mas os direitos de exibição fora dos EUA são da Netflix. Depois de uma primeira temporada mediana, com altos e baixos, será que estes novos episódios de “Scream” vão mostrar sinais de recuperação?

O primeiro episódio mostra que Emma (Willa Fitzgerald) ainda está sofrendo para lidar com sua realidade depois de tudo o que passou. Os seis sobreviventes dos assassinatos agora são conhecidos como “The Lakewood Six” e suas vidas agora são de conhecimento público. E, com isso, eles voltam a ser alvos de novas ameaças: enquanto Emma descobre que está sendo observada por alguém ligado à família de Brandon James (o pai da assassina), o envolvimento de Audrey (Bex Taylor-Klaus) nos assassinatos está prestes a vir à tona.

Foto de cena da série 'Scream', mostrando Audrey assustada

É nítido que os personagens / atuações de Bex Taylor-Klaus e John Karna (que faz o nerd Noah) são destaques nesta série e, com base nisso, os roteiristas aumentaram bastante a participação de ambos, o que considero um grande acerto. O arco que envolve Audrey está bastante intrigante e, se for bem trabalhado, vai roubar completamente a cena da protagonista. Falando nela, Willa Fitzgerald continua apática e sem sal, assim como Amadeus Serafini, que faz o namorado de Emma, Kieran. A ideia dos sonhos esquisitos de Emma foi muito conveniente para o roteiro, mas não deixou de soar forçado (nunca se comentou nada a respeito disso na primeira temporada). A história que trata de Brandon James também está começando a ser repetir; já não bastou a filha dele na temporada passada, agora outros parentes querem vingança? Só acompanhando pra saber.

A entrada de novos personagens é bem-vinda, mas está difícil acreditar na idoneidade de algum deles, pois todos tem comportamentos dúbios e esquisitos. Isto deveria ser mais balanceado para que o espectador possa se envolver com eles conforme suas histórias se desenvolvem. O bom é que ainda dá tempo de consertar isso! A segunda temporada está em andamento, sendo exibida às segundas na MTV americana e disponibilizada no dia seguinte na Netflix no restante do mundo, o que é uma excelente estratégia para evitar a pirataria.

NOTA: 7 / 10

>

Comentários

Deixe uma resposta