O que achei de “RuPaul’s Drag Race” – Temporada 8

Imagem promocional da 8a. temporada de 'RuPauls Drag Race'

A 8a. temporada do reality RuPaul’s Drag Race iniciou no dia 07 de Março e chegou ao seu final ontem (nos EUA). Enfim, ficamos sabendo quem é a Drag Superstar deste ano, sucessora de Violet Chachki, vencedora da edição anterior. Por sinal, a temporada anterior gerou várias controvérsias e abriu um questionamento: será que o programa estaria começando a perder sua criatividade? Felizmente, esta edição conseguiu se redimir e mostrar que ainda há muito a se explorar no mundo drag.

O reality apresentado (e julgado) por RuPaul tem como objetivo encontrar a Drag Superstar da América, através de provas, desafios e desfiles, onde as candidatas precisam demonstrar seu carisma, singularidade, coragem e talento (charisma, uniqueness, nerve and talent – trocadilho com o palavrão CUNT). Em cada episódio, aquelas que tiveram o pior desempenho ainda têm uma última chance de escapar da eliminação, se impressionarem RuPaul com a dublagem de uma vida (“Lipsync for your life”).

Foto promocional de RuPaul e as vencedoras das temporadas anteriores de 'RuPauls Drag Race'

Nesta temporada, houve uma maior exploração dos talentos de costura e criatividade das queens em relação à temporada passada (um dos motivos pelos quais a drag Kim Chi nunca ficou entre as piores). Desta forma, foi possível observar melhor o processo de elaboração e criação das queens. Outra coisa notória nesta edição é que, embora as competidoras se desentendessem eventualmente, o clima era cordial e até fraternal, ao assistir ao Untucked (spin-off do programa que mostra os bastidores das avaliações de cada episódio). Isso não as impediu de falar grandes verdades e fazer provocações, mas quase tudo se resolvia no fim do dia. Outra tradição do reality é colocar as queens finalistas para estrelar um clipe para uma música de RuPaul. No caso, o clipe foi para a música “The Realness”, e ficou muito bem produzido (veja no final no post).

"Foto

Este ano, assim como a quantidade de episódios, o número de competidoras foi reduzido. Mesmo assim, a seleção foi bem realizada e tivemos ótimas (e fortes) personalidades, que renderam boas cenas para a edição do programa. Isso sem mencionar o quanto são talentosas. Mas, no fim, restaram apenas 3: Bob The Drag Queen, uma queen com uma personalidade que lembra muito Bianca Del Rio, a vencedora da 6a. temporada, ótima comediante; Kim Chi, uma das mais criativas e visuais que já passaram pelo programa, com suas maquiagens e roupas cheias de referências; Naomi Smalls, a mais jovem das candidatas (21 anos), uma quase top model que demorou um pouco a se mostrar, mas que cresceu muito na reta final da competição.

ATENÇÃO: SPOILERS A PARTIR DAQUI!

Foto do tapete vermelho do episódio final da 8a. temporada de 'RuPauls Drag Race', mostrando Kim Chi, Naomi Smalls e Bob The Drag Queen

Todas as finalistas têm qualidades e defeitos, mas são muito boas em suas especialidades; algo diferente da edição passada, em que apenas Violet Chachki realmente excedia as expectativas. Entretanto, apesar de toda a sua base de fãs, Kim Chi era a que se mostrava menos preparada para assumir o posto: visualmente ela é irrepreensível, mas ela não tem uma boa dicção e não atua / dança / desfila bem. Naomi Smalls era uma forte possibilidade também, mas seria pouco provável que RuPaul não desse a coroa para a engraçadíssima Bob The Drag Queen, que consegue ficar na média nas competências que não domina (apesar de suas maquiagens simplórias) e é a que se mostrou mais madura dentre as 3 finalistas.

Foto de Bob The Drag Queen

O episódio final contou com a presença de todas as vencedoras das temporadas anteriores e mostrou o resultado da votação popular para Miss Congeniality da edição, que foi vencida merecidamente por Cynthia Lee Fontaine. Esta temporada ainda deve dar as caras no Brasil no 2o. semestre (provavelmente pelo canal Multishow), mas ainda não é a última investida de RuPaul para este ano. Também no 2o. semestre, deve ser transmitida nos EUA a aguardada 2a. temporada de RuPaul’s Drag Race All-Stars, que já foi gravada no ano passado. Tomara que não seja um fiasco como a primeira. RuPaul, don’t f*ck it up!

NOTA: 8,5 / 10

>

Comentários

2 comentários sobre “O que achei de “RuPaul’s Drag Race” – Temporada 8”

Deixe uma resposta