O que achei de “Os Oito Odiados”

Pôster do filme 'Os Oito Odiados'

Em meio a uma nevasca, o caçador de aluguel Major Marquis Warren (Samuel L. Jackson) carrega 3 corpos e avista uma diligência se aproximando. Ele pede carona a John Ruth (Kurt Russell), que está levando a pistoleira procurada Daisy Domergue (Jennifer Jason Leigh) para que seja enforcada na cidade de Red Rock, para onde também pretende ir. Durante o caminho, Chris Mannix (Walton Goggins), o novo xerife de Red Rock, se junta a eles. Todos com suas diferenças, claro. Entretanto, a nevasca aperta muito e eles decidem esperar que o tempo melhore em uma espécie de pousada, os “Armarinhos da Minnie” (Minnie’s Haberdashery). Chegando lá, precisam conviver com mais pessoas, o general Sandy Smithers (Bruce Dern), o carrasco britânico Oswaldo Mobray (Tim Roth), um cowboy chamado Joe Gage (Michael Madsen) e o mexicano Bob (Demián Bichir). Mas será que a convivência será amistosa?

Cena do filme 'Os Oito Odiados' onde John interroga Mannix antes de permitir que ele entre na diligência

“Os Oito Odiados” (The Hateful Eight) é um filme de Quentin Tarantino. Não preciso dizer nada além disso, pois este filme segue o esquema já estabelecido pelo diretor em seus últimos filmes. Trilha sonora épica (de Ennio Morricone, que foi indicado tanto pelo Critics’ Choice Awards como pelo Golden Globe Awards por este filme), tomadas de câmera e edição que remetem aos western dos anos 60 e 70, sarcasmo, flashbacks, reviravoltas, muito sangue e cenas explícitas. Além disso, também já virou marca registrada do diretor realizar filmes longos: este tem quase 3 horas de duração. Mas eu achei bem menos cansativo do que “Django Livre” (Django Unchained), caso em que o filme poderia muito bem ter encerrado 40 minutos antes. Mas aqui, se houvesse mais edição, talvez a história fosse comprometida em algum aspecto. Não deixa de ser cansativo mas, definitivamente, eu olhei menos para o relógio.

O roteiro tem uma outra característica frequente nos trabalhos mais recentes de Tarantino, que é a divisão em capítulos. Aqui temos 6 capítulos, muito bem divididos e esquematizados. Uma primeira versão da história do filme havia vazado em 2014 o que fez Tarantino cancelar a produção e depois voltar atrás na decisão, felizmente. Neste quesito, o filme recebeu indicações ao Critics’ Choice Awards e ao Golden Globe Awards. Ainda não sei se vai levar porque não vi os demais filmes concorrentes, mas a trama principal lembra um pouco “Cães de Aluguel” (Reservoir Dogs), a estreia de Tarantino. Logo, isso pode influenciar no que diz respeito à originalidade.

Cena do filme 'Os Oito Odiados' mostrando Major Marquis observando tudo

O filme tem a participação de atores excelentes e fica até difícil eleger as melhores atuações, pois a maioria tem ótimos momentos, principalmente por conta do texto de Tarantino. Samuel L. Jackson tem expressões incríveis, Kurt Russell me impressionou mas, sem dúvida, quem rouba a cena no filme é Jennifer Jason Leigh. Inclusive nas cenas em que sua personagem não tem falas, Jennifer consegue roubar a cena com seus olhares maliciosos, gestos e expressões. E isso justifica as merecidas indicações recebidas pelo Critics’ Choice Awards e pelo Golden Globe Awards.

Ainda estamos aguardando o anúncio dos indicados ao Oscar, mas acredito que devem vir indicações tanto pelo roteiro como pela atuação de Jennifer Jason Leigh. Além das indicações que citei nos parágrafos anteriores, “Os Oito Odiados” recebeu indicações de Melhor Elenco, Melhor Fotografia e Melhor Maquiagem no Critics’ Choice Awards. É um filme que te ganha já no primeiro capítulo e só melhora conforme o tempo passa. Mesmo sendo longo, é um filme muito divertido e ao mesmo tempo intrigante. Lembrando que é um filme de Tarantino: nem todos terão estômago para algumas cenas, hehe.

Cena do filme 'Os Oito Odiados', onde John conversa com Mobray sobre enforcar Daisy

Agora, vou falar sobre minha experiência assistindo a este filme no cinema. Primeiro, devido à falta de sessões legendadas em horários acessíveis, tive de ir ao Multiplex UCI Ribeiro do Iguatemi de Fortaleza. Não gosto de lá e, mais uma vez, fiquei extremamente irritado de terem desligado o ar-condicionado da sala lotada onde estávamos. Chega a ser tortura passar 3 horas em uma sala tão quente (e olha que eu não sou dos mais calorentos)! Fica a dica, então: não vá ao Iguatemi Fortaleza para ver filme durante estas férias, porque a lotação é certa e o calor é infernal. Outra coisa, gente… Não levem crianças para assistir a este filme!! Parece estúpido falar algo assim já que a censura do filme é 18 anos, mas eu tive a surpresa de ouvir risadinhas de criança na minha sala! Como eu já disse, existem cenas explícitas neste filme e acho que os pais  (modernos) deveriam pensar mais de 2 vezes antes de acompanhar seus filhos em filmes assim.

NOTA: 9,5 / 10

>

Comentários

2 comentários sobre “O que achei de “Os Oito Odiados””

Deixe uma resposta