O que achei do filme “Maze Runner — Prova de Fogo”

Pôster do filme 'Maze Runner - Prova de Fogo'

Assisti ao primeiro filme da franquia Maze Runner, “Maze Runner — Correr ou Morrer” (The Maze Runner), no cinema e fiquei impressionado com a história e com os efeitos… Todo o mistério do Labirinto e dos habitantes da Clareira, a ação e a reviravolta no final do filme me fizeram querer acompanhar a saga. Entretanto, assim que o segundo filme foi lançado, li algumas críticas e ouvi opiniões de algumas pessoas que afirmaram que “Maze Runner — Prova de Fogo” (Maze Runner: The Scorch Trials) não era tão bom quanto o original. Assim, fiquei com o pé atrás para ver no cinema e decidi esperar que o filme estivesse disponível em outras mídias. Foi uma escolha acertada, porque esta sequência praticamente aniquilou a franquia.

A história da sequência começa logo após o final do primeiro filme. Thomas (Dylan O’Brien) e os amigos que sobreviveram ao Labirinto do primeiro filme são resgatados por uma equipe liderada por Janson (Aidan Gillen), que diz estar protegendo todas as pessoas que são consideradas alvos da CRUEL (WCKD no original), a organização por trás do Labirinto. Teresa (Kaya Scodelario) fica separada deles, o que faz Thomas ficar desconfiado. Ele acaba descobrindo que o grupo de Janson trabalha para a CRUEL e que a doutora Ava Paige (Patricia Clarkson) continua viva, ao contrário do que eles pensavam. Thomas então decide agir, com a ajuda de seus amigos, para escapar do lugar e encontrar alguém que realmente os ajude.

Cena do filme 'Maze Runner - Prova de Fogo', mostrando Thomas e seus amigos atravessando o deserto

Como não poderia deixar de ser, o filme tenta se basear no livro homônimo escrito por James Dashner. Eu não li nenhum dos livros, mas como eu achei este filme bem confuso, eu fui pesquisar sobre a história do livro X a história do filme. Descobri que “Correr ou Morrer” também sofreu algumas adaptações, mas que “Prova de Fogo” foi ainda mais longe nesse aspecto. Houve muita adaptação, praticamente desde o começo do filme!

O filme tenta mesclar acontecimentos do segundo e terceiro livros. Nos livros, os sobreviventes do Labirinto estão infectados com o Fulgor (ou Fúria, se for olhar os livros). Jansen conta aos sobreviventes que iniciará a fase 2 do experimento da WCKD, onde eles deverão atravessar o deserto, superando todas as adversidades possíveis. A eles é prometida a cura para a doença, caso eles passem por todas as fases do experimento. Faz muito mais sentido, já que este filme não explica NADA sobre esta segunda fase. Também não fica claro porque eles tiveram de passar pelo Labirinto. E também eu não consegui entender porque Thomas está fugindo de pessoas que supostamente vão encontrar a cura para uma doença que assola o mundo!

Cena do filme 'Maze Runner - Prova de Fogo', mostrando Thomas e Brenda logo após escaparem de um Crank

Agora, vamos falar somente sobre o filme. Como filme de ação, é um filme OK. As sequências são bem realizadas, mas não tem nada muito novo aqui; os Cranks lembram muito os zumbis de filmes como “Guerra Mundial Z” e “Madrugada dos Mortos”. As transições ocorrem de forma abrupta; é difícil entender como Thomas está sendo atacado por um Crank em uma cena e, logo em seguida, está drogado em uma espécie de boate (WTF) que milagrosamente não sofre ataques.

Enquanto no primeiro filme, os personagens tinham algum desenvolvimento e era possível se apegar a eles (e até mesmo lamentar suas mortes), “Prova de Fogo” não deixa espaço pra isso. É literalmente um filme de ação, que não se importa com inconsistências de roteiro, nem com explicações ou amadurecimento de personagens. Sinceramente, eu não pretendo ver o terceiro filme no cinema e fico desapontado de terem adaptado tão mal este segundo filme, comprometendo a saga Maze Runner.

NOTA: 6 / 10

>

Comentários

Deixe uma resposta